O presidente Jair Bolsonaro participa de cerimônia de lançamento de programa de qualificação do atendimento de agentes comunitários de saúde, o "Saúde com Agente".

BRASIL – O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que terá um nome de Minas Gerais como vice em sua chapa à reeleição. Mas não citou quem será.

“Tenho que ter um vice que não tenha ambições de assumir a minha cadeira ao longo de um mandato. Por isso, eu posso adiantar para vocês, hoje em dia, por coincidência, meu vice é de Minas Gerais, mas não quero adiantar o nome dele”, afirmou na manhã desta segunda-feira (21), em entrevista à Jovem Pan.

Natural de Belo Horizonte, o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, tem sido apontado para compor a chapa com o presidente.

Mais tarde, nesta segunda, Bolsonaro apareceu em uma live no Instagram de seu filho, Flávio. O presidente, que faz aniversário hoje, brincou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o próprio Braga Netto.

“Hoje eu disse que meu vice seria mineiro”, afirmou Bolsonaro, falando para Paulo Guedes e Braga Netto. O ministro da Economia brincou: “o mineiro é esse!”, disse Guedes, apontando para Braga Netto.

Segundo o analista Kenzô Machida, o Alto Comando do Exército Brasileiro já deu início aos preparativos para a saída de Braga Netto. O ministro deve deixar a pasta até o dia 2 de abril para se colocar à disposição de ser candidato a vice-presidente.

Em entrevista à CNN no mês passado, o atual vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (Republicanos), avaliou que Braga Netto seria “uma pessoa extremamente capacitada para ser o novo vice-presidente”. Segundo Mourão, Braga Netto “tem um excelente relacionamento” com Bolsonaro e “confiança daquele que é cabeça da chapa”.

Além de ministro da Defesa, Braga Netto também foi ministro da Casa Civil e atuou como interventor federal no Rio de Janeiro durante o governo do presidente Michel Temer (MDB).

Filiado ao PL, Bolsonaro deverá lançar sua pré-candidatura em 27 de março, num evento do partido em Brasília. Segundo o presidente, o nome do vice, porém, só deverá ser anunciado em agosto, que é o prazo legal para os partidos definirem e registrarem as candidaturas.

“Obviamente vocês vão tomar conhecimento de quem vai ser meu vice, apesar de só sair em agosto, pelas possíveis saídas de ministros agora dia 30 de março. (…) Devemos ter um vice que demonstre apuração, um vice que não é pra ajudar a ganhar eleição, é para ajudar a governar o Brasil. Ganhar a eleição é bem mais fácil do que governar”, afirmou.

Na mesma entrevista, Bolsonaro confirmou que o atual vice, o também general Hamilton Mourão, está descartado para compor sua chapa e que irá concorrer ao Senado no Rio Grande do Sul, com o apoio do governo. Mourão se filiou recentemente ao partido Republicanos para concorrer ao cargo.